segunda-feira, 16 de agosto de 2010

http://www.livrosbrasil.com.br/_loja_exibir_produto.asp?art_no=8573490780


ISBN 8573490780 Autor Alberto Pasqualini , Org. Rui Barbosa de Souza
Formato: 16x23 cm - 192 págs - Kg 0,295 Ano:2008
Bases e sugestões para uma Política Social - Segunda edição - Coleção Brasil Debates

ISBN:8573490780 EAN / ISBN - 13:9788573490787 ORGANIZADO POR RUI BARBOSA DE SOUZA - ANO: 2008 É de se imaginar que, aos olhos de um leitor jovem, o nome Alberto Pasqualini não encontre a merecida ressonância. Se, no entanto, esse mesmo leitor se debruçar na leitura de Bases e sugestões para uma política social, desse político brasileiro, livro de título não só modesto, mas igualmente significativo, irá encontrar um texto com a robustez que Alberto Pasqualini imprimiu à sua vida política. Participante do movimento revolucionário de 1930, foi fundador do PTB (Partido Trabalhista Brasileiro), não o que sustenta (de forma precária) o nome atual, mas o que representou de fato o trabalhismo do qual Alberto Pasqualini foi, sem nenhuma dúvida, o seu mais importante teórico. No ano de 1950, foi eleito senador pelo Rio Grande do Sul, sendo um dos nomes mais ativos nos debates sobre a criação da Petrobrás, contribuindo na implantação do monopólio estatal da exploração do petróleo. Alberto Pasqualini teve uma vida breve, mas resoluta. Ainda que não aceitasse o socialismo, tinha idéias muito claras sobre a realidade política brasileira. Seu idealismo preconizava uma ideologia trabalhista, buscando objetivamente eliminar a "usura social", ou seja, impedir a exploração do trabalhador. Depois de sessenta anos (é de 1948 a publicação de Bases e sugestões para uma política social), ainda é possível ler (e não só entender, mas também sonhar) frases como [...] "é a característica do capitalismo individualista que tem como elemento psicológico o egoísmo". [...] "a melhor forma de realizar a justiça social será ainda empregando os métodos da liberdade e não os processos da violência e da coação". [...] "O que faz o trabalhista é a mentalidade, não a profissão". E se for necessário provocar o convencimento do que pensava Pasqualini, leia-se: "Se é utopia pretender erradicar a causa do mal, se não seria sensato nem conveniente, nesta fase da evolução humana, eliminar o capitalismo como propriedade privada dos meios de produção e como instrumento de lucro, deve-se, pelo menos, coactar-lhes os excessos e impedir a exploração do homem pelo homem, que con-duz a uma nova forma de escravidão". Nada mais pode ser tão atual.
 
Valor: R$ 35,00

Pedidos: vendas@livrosbrasil.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário